quarta-feira, 2 de julho de 2014

#17 - Que time é esse? - Sociedade Esportiva Palmeiras B (Grupo verde)

O quarto time do grupo verde foi fundado em 2000, suas cores, mascote, uniforme e hino foram transferidos de um time grande da Capital, durante sua história ele foi responsável de utilizar a garotada da base no futebol profissional, como um clube "B" ele não poderia subir para à Série A-1, mas isso não impediu do clube alcançar voos altos no futebol. Hoje iremos falar da Sociedade Esportiva Palmeiras B, da cidade de São Paulo/SP.

História

O Palmeiras B foi fundado em 2000 para ser a equipe reserva oficial da Sociedade Esportiva Palmeiras. Inspirados pelo modelo espanhol – no qual os grandes clubes como Barcelona e Real Madrid têm suas equipes secundárias participando das divisões inferiores da Liga – a diretoria do Palmeiras inscreveu naquele ano o Palmeiras B na Série B2 do Campeonato Paulista (quinta divisão na época) onde, apoiado pela boa estrutura do time principal, o time fez uma excelente campanha, sendo vice-campeão do torneio e conseguindo a promoção para a Série B1 (atual Segunda Divisão).

Em 2001, o Palmeiras B fez mais uma boa campanha, terminando a B1 em terceiro lugar. O resultado, no entanto, não seria suficiente para o time ser promovido. A vaga veio graças à criação da Liga Rio-São Paulo, em 2002, que desencadeou uma grande reestruturação no futebol Paulista. A criação do campeonato fez com que se abrissem três vagas para a Série A3 em 2002 e o Palmeiras B foi um dos beneficiados, além de Barretos e Ferroviária.

Em seu primeiro ano na A-3, o clube ficou na sétima colocação entre 16 participantes. Em 2003, foi melhor chegando às semifinais do torneio, mas perdeu para o Araçatuba, que foi promovido. Em 2004, a equipe fez sua primeira campanha ruim na A-3. Ficou em penúltimo no seu grupo e na 13º colocação entre os 16 que disputaram a competição daquele ano.

O ano de 2005 marcou o histórico acesso. Naquele ano, a Série A-3 foi disputada por 19 equipes - por causa da desistência da Inter de Bebedouro -, divididas em dois grupos na primeira fase. O Palmeiras B terminou em segundo em sua chave e ganhou a vaga para as semifinais, onde não apenas garantiu o acesso como se classificou para a final do Campeonato. Na decisão, o Palmeiras B ficou com o vice-campeonato após empatar por 1 a 1, pois tinha campanha inferior que o adversário.

Outro fato que marcou o ano de 2005 para o Palmeiras B foi na Copa São Paulo de Futebol Júnior daquele ano, onde bisonhamente, na fase de mata-mata o clube enfrentou nada mais e nada menos do que o tradicionalíssimo Palmeiras. Em um jogo onde a torcida palmeirense não se importou com quem fosse o vencedor do jogo e fazendo a festa a partida inteira, incentivando as duas equipes, o tradicional Palmeiras derrotou o time B por 4 a 0. Após esse fato, foi proibido que os dois Palmeiras disputassem o mesmo campeonato.


Palmeiras B atuou de verde devido ter campanha superior. (Foto: Terra)
Em 2006, o Palmeiras B atingiu a Série A-2, que praticamente equivaleu como Série A1 pro clube, já que dois times de uma mesma agremiação não podem disputar a mesma divisão do Campeonato Paulista. Mesmo com esta limitação, o Palmeiras B não se intimidou e chegou à segunda fase do torneio logo em seu ano de estreia, ficando em quarto no quadrangular semifinal.

Em 2007, a equipe ficou seis jogos sem vencer no começo da Série A-2. No total, foram apenas cinco vitórias em 19 jogos e uma pífia 17ª colocação, que rendeu ao clube seu primeiro rebaixamento na história.

De volta à Série A-3, o clube realizou campanhas modestas nos anos de 2008 e 2009, ficando com uma 15ª colocação e 11ª colocação, respectivamente, sem conseguir a classificação para a próxima fase.

Em 2010, o Palmeiras B conseguiu retornar para à Série A-2 após três anos de ausência. Fazendo uma boa 1ª fase, terminando entre os quatro colocados, o Verdinho caiu em um grupo na fase seguinte com Juventus, Penapolense e Red Bull. Seu acesso foi decretado em um 3 a 2 emocionante contra o Juventus em plena Rua Javari.

No ano de 2011, o Palmeiras B se manteve na Série A-2 apenas na última rodada, e ainda teve que contar com tropeços dos rivais, uma vez que empatou em 0 a 0 com o XV de Piracicaba, e se União Barbarense (2 a 2) e São Bento (Perdeu de 3 a 1) vencessem seus jogos, o clube estaria rebaixado.

Os anos de 2012 e 2013 foram decretados os últimos suspiros do clube alviverde. Com dois rebaixamentos seguidos, a diretoria palmeirense resolveu fechar às portas do Palmeiras B, alegando muitos gastos com o clube e o retorno era menor, sendo que poucos jogadores eram aproveitados no profissional.


Durante seus 13 anos de existência, o clube não conquistou nenhum título no profissional, apenas em outros torneios, sendo a maioria internacional.

Dados e números

Maior goleada aplicada: Palmeiras B 8 x 0 Independente (19/02/2003)
Maior goleada sofrida: Juventus 5 x 0 Palmeiras B (10/03/2010)
Jogo com maior número de gols: Palmeiras B 4 x 7 Corinthians de Taubaté (20/08/2000) / Palmeiras B 6 x 5 Taubaté (12/02/2006)

Soma total de todas suas campanhas no Paulista: 311 jogos - 137 vitórias - 60 empates - 114 derrotas - 567 gols marcados - 491 gols sofridos - 50,8% de aproveitamento
Temporada com melhor aproveitamento da história: 2000 (70,3%)
Temporada com pior aproveitamento da história: 2013 (29,8%) 
Primeiro jogo da história: 16/04/2000 - Palmeiras B 3 x 4 Santacruzense - Série B-2
Último jogo da história:  14/04/2013 - Palmeiras B 3 x 3 Sertãozinho - Série A-3

Revelações

Em sua história, o Palmeiras B não teve grandes revelações conforme o esperado, mas tivemos alguns jogadores que estiveram presente no profissional palmeirense, como os goleiros Diego Cavalieri e Deola; os zagueiros Gláuber e David Braz; o lateral Ilsinho; os volantes Francis, Alceu, Wendel e Elias; os meias Diego de Souza e Marquinho; os atacantes Vágner Love, Zé Eduardo e Edmilson; e até mesmo os técnicos Jorginho e Parraga.

Motivo da não-participação e Atualidade

Para a alegria de muitos, o Palmeiras B foi extinto pela diretoria palmeirense devido alegar muitos gastos para pouco retorno. Sendo assim, o clube nunca mais voltará para o futebol profissional. Agora só vão restar as lembranças do passado e das aventuras alternativas que o Verdinho enfrentou durante seus 13 anos de existência.

0 comentários:

Postar um comentário